R$ 10.136.000,00
Premiação Distribuída
399194
Fornecedores Incluídos
249218
Consumidores Cadastrados
85414
Bilhetes Premiados
48409132
Bilhetes Gerados

02/05/2016 | Servidores da Sefa usam o teatro para falar de educação fiscal

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 29/04/2016

Em comemoração aos 16 anos de existência do Grupo Estadual de Educação Fiscal do Pará, a Secretaria da Fazenda (Sefa) fez nesta sexta-feira (29), no auditório, a apresentação da peça teatral “A Escola do Professor Mundico”, encenada pelos servidores. A coordenadora do Grupo de Educação Fiscal, Zilda Benjamin, lançou, no ano passado, o desafio aos servidores: fazer uma peça no mesmo estilo da “Escolinha do Professor Raimundo”, usando os conceitos da educação fiscal.

A coordenadora, então, procurou a Universidade Federal do Pará (UFPA). O Instituto de Ciências da Arte aceitou a parceria e ofereceu alunos do curso de Teatro para ensaiar os servidores, numa oficina de 30 horas. Depois orientou os ensaios. O texto base da peça foi escrito pelo servidor fazendário Marivaldo Palha, que faz o Professor Mundico. Para Zilda Benjamin, a parceria com a UFPA “possibilitou usar o teatro como forma da divulgação da educação fiscal”.

Entre os assuntos abordados na apresentação estão a delação premiada, o que são tributos e os princípios da administração pública. Participaram do evento o secretário da Fazenda, Nilo Noronha; o superintendente da Receita Federal da 2ª Região, Moacyr Montardo; e a adjunta da Receita Federal, Maria Helena Coutinho, além de servidores da Sefa. Para Nilo Noronha, o teatro tem uma linguagem leve que favorece a aprendizagem sobre a educação fiscal. Já o superintendente da Receita disse que a peça é uma boa forma de “disseminar os conceitos sobre tributos e demonstrar que todos somos contribuintes”.

O Grupo de Educação Fiscal é formado por servidores das secretarias estaduais de Educação (Seduc) e Fazenda; pela Receita Federal do Brasil e pelo Centresaf. A missão do grupo é contribuir para conscientização do cidadão sobre direitos e deveres, relativos aos tributos e à aplicação dos recursos públicos, incentivando o controle social para o efetivo exercício da cidadania.